Arquivos para categoria: Seleção Brasileira Feminina
274977_575503_grd_0000014636_web_

Célia Coppi é uma das atletas da Seleção Adulta (Wander Roberto/Photo&Grafia/CBHb)

A partir do dia 12 de fevereiro, um grupo de 25 atletas estará no SESI de Blumenau (SC) para mais uma fase de treinamento da Seleção Brasileira Feminina de Handebol. Desta vez, o técnico Morten Soubak irá trabalhar em conjunto com o comandante da equipe Júnior, Daniel Suarez, o Cubano, já que além de algumas jogadoras da equipe principal, a convocação conta também com jovens talentos da classe Júnior.

Este é um ano muito importante para todas as categorias. O time Adulto tem o maior desafio do ciclo, que são os Jogos Olímpicos. Já as Seleções Júnior e Juvenil disputam os Mundiais das categorias em julho. O plano é fazer um trabalho conjunto e, principalmente, dar sequência ao que foi feito na primeira fase Júnior do ano, em janeiro. “Vamos continuar com o padrão implementado no mês passado e com as ideias seguindo a mesma filosofia do Adulto”, disse Morten Soubak.

Para a classe principal esse será o primeiro compromisso de 2016, porém, Morten não poderá contar com as atletas que atuam na Europa, já que estas estão disputando campeonatos no ‘Velho Continente’. Das que fizeram parte da equipe no último Mundial, estarão presentes as armadoras Amanda Andrade e Bruna de Paula, a central Francielle Gomes da Rocha e as pontas Célia Coppi e Larissa Araújo.

274977_575505_grd_0000014629_web_
Além de dar oportunidade às atletas que estão no Brasil e seguir o trabalho com a Júnior, será também uma oportunidade de integração entre os profissionais que fazem parte das comissões das duas equipes, segundo o treinador. “Temos que pensar no adulto integralmente, mas também vamos ajudar na preparação da Júnior com esse treinamento em conjunto. Para as do Adulto, vamos trabalhar mais individualmente com cada uma. Além disso, este será o primeiro encontro da nova comissão técnica Júnior com a da adulta. Todas as áreas vão trabalhar integradas. Vamos fazer o máximo para aproveitar esse período”, finalizou Morten.

CONVOCADAS – Seleção Feminina de Handebol

Goleiras – Alice Fernandes da Silva (EC Pinheiros-SP), Jéssica Silva de Oliveira (São Caetano-SP) e Maitê de Lima Dias (Apahand/UCS/Caxias do Sul-RS).

Armadoras – Amanda Andrade (AAU-Handebol Concórdia-SC), Bruna de Paula (Instituto Buzzo Sport São José dos Campos-SP), Cecília do Nascimento Mousinho (Clube Português/AESO-PE), Juliana Borges Lima (Apahand/UCS/Caxias do Sul-RS), Mariane Cristina Fernandes (Metodista/São Bernardo-SP), Micarla Silva de Miranda (AD Balcan/Fmebc-SC) e Patrícia de Jesus (Instituto Buzzo Sport São José dos Campos-SP).

Centrais – Ana Carolina Américo Resende (SESI Esporte MG/Pará de Minas-MG), Carolina Stefani Monteiro Lisboa (EC Pinheiros-SP), Francielle Gomes da Rocha (Funguaru-SP) e Talita Alves Carneiro (AAU-Handebol Concórdia-SC).

Pontas – Ana Luíza Aguiar Camêlo Borba (AAU-Handebol Concórdia-SC), Célia Coppi (Metodista/São Bernardo-SP), Clara Caroline Magalhães (Jundiaí Handebol Clube-SP), Larissa Fais Munhoz Araújo (AAU- Handebol Concórdia-SC), Marilene Domingos de Souza (Instituto Buzzo Sport São José dos Campos-SP) e Nicole Luz Damascena (EC Pinheiros-SP).

Pivôs – Ana Júlia Macedo Guerra (Metodista/São Bernardo-SP), Camila Vitória Moraes Maia (Clube Português/AESO-PE), Juliana de Oliveira Gomes Vicente (Vasco/FAB-RJ), Lívia Martins Horácio (Metodista/São Bernardo-SP) e Luana Teresa dos Santos da Silva (Jundiaí Handebol Clube-SP).

273969_572787_img_4790_web_

Morten Soubak, técnico da seleção brasileira adulta, está supervisionando os trabalhos (Divulgação)

As Seleções Femininas Juvenil e Júnior de Handebol estão reunidas no SESI de Blumenau (SC) para a primeira fase de treinamentos do ano. Um dos objetivos das equipes – que este ano disputam os Pan-Americanos e Mundiais – estarem trabalhando juntas é a padronização do esquema de jogo entre todas as categorias.

Para ajudar nesta missão, o comandante da equipe Adulta, o dinamarquês Morten Soubak, também está em Blumenau para auxiliar os novos treinadores da base nas atividades da semana. “Fizemos alguns treinos mistos que facilitam em vários aspectos. São treinamentos mais individuais, por posições, que dão outra dinâmica. Estamos com duas comissões com a mesma filosofia, o que reflete no trabalho das meninas. A integração, quando elas chegarem na categoria Adulta, será muito mais fácil para todo mundo”, frisou.

Técnico da Seleção Júnior, Daniel Suarez, o Cubano, reforçou a importância da uniformização do trabalho. “Esses treinamentos juntos serão muito importantes. A nossa ideia é padronizar a forma de jogar para que, no futuro, as atletas não precisem se readaptar quando subirem de categoria. Teremos uma continuidade do trabalho, começando na equipe Juvenil, passando pela Júnior até chegar na Adulta”, disse.

Já Cristiano Rocha, treinador da Juvenil, destacou a oportunidade das jovens atletas estarem em contato com Morten. “Temos uma grande oportunidade. O Morten está aqui para mostrar e passar a experiência que ele tem para as meninas e para nós da comissão também. É uma grande oportunidade para integrar as equipes. As atletas só tem a ganhar com isso”, declarou

Antes mesmo da primeira fase de treinamentos do ano, Morten já havia começado essa integração com as novas comissões técnicas. Em novembro, ele manteve contato direto com Daniel, enquanto o cubano comandava a Seleção Feminina em amistoso realizado no Paraguai. Além disso, Cubano também treina a Seleção Universitária. Já Cristiano fez parte da comissão técnica do Brasil no Mundial da Dinamarca, em dezembro.

O momento de entrar em quadra dentro de casa para buscar um bom resultado nos Jogos Olímpicos está cada vez mais perto, mas até lá, as Seleções Masculina e Feminina de Handebol têm ainda muito trabalho pela frente. Até agosto as equipes farão várias fases de treinamento e amistosos que irão ajudar na preparação.

A Seleção Masculina já começou o ano em atividade. Na Espanha, fez treinos e disputou o Memorial Domingo Bárcenas, que contou também com Suécia, Polônia e os donos da casa.

273403_570685_12509377_975834432484392_4373182376925861177_n_web_

Lucas Cândido, ponta da seleção (Foto arquivo)

No início de março, o técnico Jordi Ribera irá convocar novamente o grupo para uma semana de treinos em Blumenau (SC). No começo de abril, A Seleção irá disputar um torneio amistoso no Qatar e no final do mesmo mês, apesar de já estar classificado para os Jogos Olímpicos, irá disputar o evento-teste no Rio de Janeiro, uma ótima oportunidade de preparação jogando com grandes adversários. De 17 a 27 de junho, o time busca o título do Pan-Americano de Handebol, em Buenos Aires, na Argentina, mas antes disso terá um longo período de preparação em São Paulo (SP) que irá exigir muita concentração dos atletas. No início de julho os brasileiros retornam à Espanha para mais uma fase com jogos amistosos e de 15 a 24 jogam a terceira edição do torneio Quatro Nações no Brasil.

Nem mesmo depois dos Jogos Olímpicos o time terá descanso. No começo de outubro está programada a última fase do ano que ainda terá local definido.

Já a equipe feminina terá o primeiro encontro de 2016 em fevereiro, no Brasil. No início de março, volta a se reunir na Europa com jogos na Noruega. Na sequência, a partir do dia 28 de maio, as brasileiras estarão no Continente Europeu mais uma vez para mais amistosos e em junho visitam a cidade sede dos Jogos Olímpicos para uma nova fase. No fim de junho e início de julho, o Rio será novamente palco dos trabalhos da Seleção, assim como no fim de julho e início de agosto, véspera dos Jogos.

272051_566514_image_web_
Depois da maior competição do ciclo, as meninas fecham o ano com uma etapa em setembro e a disputa do torneio Quatro Nações no fim de novembro.

*Texto fornecido pela assessoria de imprensa da CBHb.

img_2557

Duda Amorim com o troféu de Melhor Atleta do Mundo na temporada 2014/2015 (Foto: Thierry Gozzer)

Eleita a melhor jogadora do mundo em 2014, a brasileira Duda Amorim recebeu o troféu no domingo, no intervalo da final entre Holanda e Noruega, vencida pelas norueguesas por 31 a 23.

Em entrevista após a premiação, a armadora brasileira comentou a polêmica e troca de farpas entre o técnico da Seleção Brasileira Feminina, o dinamarquês Morten Soubak, e o presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel de Oliveira.

Morten Soubak deu declarações pouco antes do Mundial disputado em dezembro reclamando da estrutura do handebol brasileiro e disse que não se compara com a europeia. O presidente da CBHb rebateu de forma dura, a chegou a cogitar a dispensa do treinador.

Duda Amorim comentou de forma sincera: “Eu me desliguei, não ouvi o que ele falou exatamente. Se falou que a situação está ruim, falou a verdade. Se atacou a seleção, não sei. Mas se ele falou da situação, é uma verdade. A gente não precisa se magoar por isso. É a nossa realidade. Talvez a presidência levou como um ataque, mas a verdade é que o handebol brasileiro não evoluiu. A nossa liga não é boa. Eu não ouvi todas as entrevistas”, disse ao site Globoesporte.com

Sobre a continuidade do ciclo Olímpico, Duda afirmou que a falta de unidade entre o cartola e o treinador não deve atrapalhar o foco da Seleção Feminina. “Nada abala a gente. O Morten também é muito profissional e vai deixar fora se precisar. Mas acho que é nervoso depois de um Mundial, com uma colocação ruim. Vai passar e vamos focar apenas na medalha que nos falta e é o grande objetivo desse grupo desde os Jogos de Londres”.

Informações do Globoesporte.com

 

 

 

502139298A Noruega contou com uma atuação devastadora na primeira etapa da final contra a Holanda para conquistar sem maiores sustos o Campeonato Mundial feminino de handebol da Dinamarca. O time nórdico venceu a decisão em Herning por 31 a 23 (foi para o intervalo com 20 a 9), neste domingo, levando o torneio pela terceira vez na história.

O desempenho no primeiro tempo de partida foi fundamental na vitória da Noruega sobre a Holanda neste domingo. Com uma defesa forte, conseguiu armar contragolpes aproveitando os espaços deixados na defesa adversária. Com isso, foi ao intervalo com 20 a 9 no marcador.

502139756As holandesas melhoraram na segunda etapa de partida, aproveitando um período de desconcentração adversário. A diferença caiu para cinco gols, mas aí a Noruega voltou a dominar o jogo e conquistou a vitória e o título sem sustos em Herning.

502139758

Algoz do Brasil fica com o bronze – Também neste domingo foi realizada a disputa pelo terceiro lugar do Campeonato Mundial. Algoz do Brasil nas oitavas de final, a Romênia garantiu um lugar no pódio ao derrotar a Polônia por 31 a 22. O país já foi campeão em 1962, quando sediou a competição, e ficou com a prata em 1973 e 2005.

Noruega domina handebol feminino há mais de 10 anos
A Noruega também conquistou o Mundial feminino de handebol em 1999 e 2011, este disputado em São Paulo. O time, que levou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012, não teve domínio total na modalidade nos últimos anos porque o Brasil foi campeão do Mundial de 2013. Neste ano, na Dinamarca, a Seleção caiu nas oitavas de final diante da Romênia.

502139774

O título do Mundial daria à Noruega também participação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, mas o time já tinha presença assegurada no torneio por ter vencido o Campeonato Europeu, em dezembro passado. Assim, a equipe nórdica fica com a classificação à Cidade Maravilhosa pelo Mundial, dando vaga olímpica à Espanha, vice-campeã continental.

*Informações da Gazeta Esportiva

 

0_Poland_Russia_JanChristensen-0002

Polônia é uma das equipes que disputarão as semifinais do Mundial Feminino de Handebol nesta sexta (Foto: Divulgação/IHF)

Foram confirmados os horários dos confrontos semifinais do Campeonato Mundial de Handebol Feminino, que está acontecendo na Dinamarca. Nesta sexta feira, 18/12, as quatro melhores equipes até agora no torneio duelarão por duas vagas na grande decisão de domingo.

Às 15h00 (horário de Brasília), Holanda e Polônia, duas surpresas nestas semifinais, jogam por uma das vagas na final.

Às 17h45 (horário de Brasília), é a vez da tradicional Noruega enfrentar a surpreendente Romênia, que começou o torneio sem badalação, classificou-se na 4ª vaga de seu grupo, e chega embalada nesta reta final da competição.

Transmissões na TV no Brasil
15h00 – Holanda x Polônia (ao vivo na ESPN e no SporTV 2)
17h45 – Noruega x Romênia (ao vivo na ESPN e no SporTV 2)

Histórico das semifinalistas
Das quatro seleções semifinalistas, a que tem mais tradição em termos de títulos é a Noruega. A equipe escandinava conquistou o Mundial Feminino duas vezes, em 1999 e 2011, quando a competição foi disputada no Brasil.

A Romênia possui um único título, no distante ano de 1962, quando sediou a segunda edição do Mundial para mulheres.

A Polônia tem como melhor resultado de sua história em Mundiais um 4º lugar na edição de 2013, realizada na Sérvia. Já a Holanda, pela primeira vez chega numa semifinal de Mundial.

Jogos de posicionamento
Também nesta sexta feira as equipes que foram derrotadas nas quartas de final voltam à quadra para as partidas que decidirão o posicionamento de 5º a 8º lugares.
10h00 – França x Rússia
12h30 – Montenegro x Dinamarca

271780_565637_image_web_

Deonise Fachinelo (Wander Roberto/Photo&Grafia/CBHb)

A armadora Deonise Fachinello, da Seleção Brasileira, foi anunciada nesta terça-feira como novo reforço do Nykobing F. Handboldklub, da Dinamarca. O contrato é válido até o final da temporada 2015/2016.

A jogadora de 32 anos atuou na atual temporada pelo CSM Bucareste, da Romênia, clube que, segundo a imprensa esportiva dinamarquesa, estaria passando por dificuldades financeiras e por issso estaria perdendo suas principais atletas. Ainda segundo informado pelo site “Folketidende”, Deonise já estava há algum tempo em negociação com a equipe que irá defender a partir de 2016.

Deonise chega ao handebol dinamarquês com o peso de ter sido campeã do mundo com o Brasil em 2013, e ser considerada uma jogadora de grandeza internacional.

Ela será companheira de equipe de outras três brasileiras: a goleira Bárbara Arenhart, a Babí, a armadora Karol Souza e a ponta Mariana Costa.

O Nykobing ocupa atualmente a terceira posição na Liga Dinamarquesa Feminina de Handebol.

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.