Arquivos para categoria: Seleção Brasileira Feminina

253470_503036_img_descr__1_Duas grandes potências do handebol feminino estarão no Brasil a partir da próxima semana. Em um ano de grande importância, em que tem a responsabilidade de defender o título mundial, a Seleção Nacional recebe a Noruega, atual Campeã Olímpica, para dois jogos amistosos do ‘Desafio das Campeãs’.

As partidas serão disputadas nos dias 12 e 14 de junho, no ginásio Poliesportivo Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP), mas antes disso, ambas fazem um período de treinamentos no Rio de Janeiro (RJ).

O time brasileiro, composto por 21 atletas, inicia os treinos no dia 6. As equipes farão todas as atividades na Escola de Educação Física do Exército, no bairro da Urca. A Noruega chega ao País também com 21 jogadoras. A promessa é de jogos de altíssimo nível.

Os destaques da convocação de Morten Soubak ficam por conta das atletas que atuam no handebol europeu e que foram poupadas durante a disputa do Pan Americano de Hanava. São elas: a goleira Barbara Arenhart, a ponta Alexandra Nascimento, a armadora Deonise Fachinello, Duda Amorim e a ponta Fernanda França.

O Brasil conquistou nesta quinta-feira (28) o título do Pan-Americano da modalidade, disputado em Cuba, ao derrotar a Seleção da casa na final. A equipe tem pela frente os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho, e o Mundial da Dinamarca, em dezembro.

Seleção Feminina – Convocadas

Goleiras – Bárbara Arenhart (Baia Mare-Romênia), Jacqueline Oliveira Santana (Toulon-França), Jéssica Oliveira (AAU-Handebol Concórdia-SC) e Mayssa Pessoa (CSM Bucaresti-Romênia).

Armadoras – Adriana do Nascimento Lima (MKS Zaglebier Lubin-Polônia), Amanda Andrade (AAU-Handebol Concórdia-SC), Deonise Fachinello (CSM Bucaresti-Romênia), Eduarda Amorim (Gyori Audi ETO-Hungria), Jaqueline Anastácio (Rongkobing Handbold APS-Dinamarca), Juliana Malta Varela de Araújo (MKS Zaglebier Lubin-Polônia) e Karoline Souza (Nykobing Handboldklub-Dinamarca).

Centrais – Ana Paula Rodrigues Belo (CSM Bucaresti-Romênia) e Francielle Gomes da Rocha (Hyppo Nö-Áustria).

Pontas: Alexandra Nascimento Martinez (Baia Mare-Romênia), Célia Costa Coppi (Metodista/São Bernardo-SP), Fernanda França (CSM Bucaresti-Romênia), Jéssica Quintino (MKS Selgros Lublin-Polônia) e Samira Rocha (OGC Nice-França).

Pivôs – Daniela de Oliveira Piedade (Siofok KC-Hungria), Fabiana Carvalho Diniz (SG BBM Bietigheim-Alemanha) e Tamires Morena Lima de Araújo (Gyori Audi ETO-Hungria).

Samira Rocha, melhor ponta esquerda do Pan-Americano

Samira Rocha, melhor ponta esquerda do Pan-Americano

O Pan-Americano de Handebol de Havana terminou com a Seleção Feminina campeã depois de um jogo eletrizante contra as cubanas, na noite desta quinta-feira (28).

Além do título, três atletas brasileiras levaram para casa o prêmio de melhor jogadora da posição. Jéssica Oliveira foi considerada a melhor goleira, Jaqueline Anastácio a melhor armadora esquerda e Samira Rocha a melhor ponta esquerda.

Para Samira, a premiação foi uma surpresa. “Realmente não esperava ser premiada. Quebrei o dedinho da mão direita no jogo contra o Paraguai e joguei muito pouco na fase decisiva. Vim para cá com esse objetivo de ser a melhor ponta esquerda, mas depois da minha lesão no dedo pensei que não daria mais. Fico feliz por ter ajudado a equipe enquanto foi possível”, afirmou.

Jaqueline Anastácio, melhor armardora esquerda do Pan-Americano

Jaqueline Anastácio, melhor armardora esquerda do Pan-Americano

Já Jaqueline, ficou muito contente pela conquista. “Foi uma sensação maravilhosa. O objetivo principal era contribuir com o grupo. Acredito que eu me doando para a equipe e recebendo o apoio de todo mundo ajudou bastante. Mas, com certeza, não conquistei sozinha. Todas as meninas me ajudaram a ganhar esse título”, disse.

Enquanto isso, Jéssica Oliveira falou da grande responsabilidade que carregava. “Foi o meu segundo campeonato oficial com a Seleção Adulta, mas o primeiro que realmente pude jogar. A gente vem com a responsabilidade de ganhar pelos bons resultados do Brasil nas últimas competições. Senti um pouco de pressão, mas estou feliz pelo prêmio e pelo campeonato”, declarou.

Jéssica Olivera, melhor goleira do Pan-Americano

Jéssica Olivera, melhor goleira do Pan-Americano

Além das brasileiras, as cubanas Glennis Reyes e Eyatne Rizo ganharam, respectivamente, o prêmio de melhor ponta-direta e melhor central, a argentina Antonela Mena foi a melhor pivô e a porto-riquenha Nathaly Ceballo a melhor armadora direita. A Federação Pan-Americana não fez eleição para a melhor jogadora da competição.

254147_505745_img_descr__4__web_Em partida eletrizante, a Seleção Feminina superou Cuba por 26 a 22 (13 a 11 no primeiro tempo) na final do Pan-Americano de Handebol de Havana e faturou o título da competição de forma invicta.

Com a Sala Polivalente Kid Chocolate completamente lotada, o Brasil não se intimidou com o caldeirão cubano e soube aproveitar as chances criadas para levar mais uma conquista para casa.

O primeiro tempo começou muito equilibrado. Incendiadas pela torcida, as cubanas saíram na frente e permaneceram com a vantagem graças a goleira Eneleidys Guevara, que defendeu dois sete metros seguidos e parou bons ataques do Brasil. Porém, depois das belas infiltrações da jovem central Gabi Constantino e dos contra-ataques puxados pela ponta Jéssica Quintino, o Brasil passou na frente aos 13 minutos, com o 5 a 4 no placar.

Com as duas equipes vibrantes somadas à pressão da torcida cubana, a partida começou a ficar pegada. As brasileiras souberam tirar proveito da situação e fecharam o primeiro tempo com 13 a 11 no marcador.

A segunda etapa foi eletrizante do começo ao fim. Cuba iniciou com tudo e virou o placar em poucos minutos. Com a goleira Eneleidys Guevara ainda inspirada, as brasileiras tiveram dificuldades para marcar, mas encontrou na armadora Amanda Andrade o caminho do gol.

Com os potentes chutes de longa distância, a atleta número 6 da Seleção foi a destaque do segundo tempo e artilheira da partida com 6 gols, ao lado da ponta esquerda Larissa Araújo.

A vitória veio, porém, ao 55 minutos, quando o Brasil, com uma jogadora a menos, recuperou a bola na defesa e fez o gol no contra-ataque, abrindo três tentos de vantagem. Depois disso, as cubanas ficaram desesperadas e isso só facilitou o trabalho das brasileiras até o final da partida.

GALERIA DE IMAGENS DA DECISÃO (Fotos: Wander Roberto/Photo&Grafia)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para a capitã Dara, as brasileiras souberam mostrar a cara do País em quadra. “Fomos do menos para o mais. Talvez não mostramos o melhor handebol no começo da competição, mas mostramos a cara do Brasil na fase decisiva. Jogamos com raça e determinação. Essa foi uma vitória do grupo. Estão todas de parabéns”, disse.

O técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubak, elogiou a postura da equipe. “Estamos muitos felizes. Foi a melhor partida do campeonato. Conseguimos construir um time jovem sem grande preparação ou amistosos. Mesmo com o ginásio incendiado quando Cuba estava na frente, o time continuou firme. Esse foi o Pan-Americano mais disputado que já vi. O grupo está de parabéns”, declarou.

TABELA DE JOGOS

21/05 (quinta-feira)
Venezuela 25 x 25 Porto Rico
Paraguai 25 x 18 Groenlândia
Brasil 28 x 14 Estados Unidos
Uruguai 29 x 27 Chile
Argentina 23 x 24 Cuba
México 34 x 15 Guatemala

22/05 (sexta-feira)
Groenlândia 26 x 26 Venezuela
Estados Unidos 24 x 25 Paraguai
México 30 x 24 Chile
Porto Rico 15 x 35 Brasil
Argentina 48 x 6 Guatemala
Cuba 44 x 19 Uruguai

23/05 (sábado)
Brasil 32 x 12 Groenlândia
Paraguai 31 x 26 Venezuela
Estados Unidos 20 x 23 Porto Rico
Argentina 31 x 20 Chile
Uruguai 37 x 37 México
Cuba 47 x 12 Guatemala

24/05 (domingo)
Paraguai 29 x 33 Porto Rico
Groenlândia 28 x 22 Estados Unidos
México 23 x 36 Argentina
Venezuela 16 x 33 Brasil
Uruguai 42 x 14 Guatemala
Chile 26 x 40 Cuba

25/05 (segunda-feira)
Porto Rico 27 x 26 Groenlândia
Venezuela 20 x 22 Estados Unidos
Brasil 28 x 22 Paraguai
Argentina 34 x 15 Uruguai
Guatemala 19 x 36 Chile
México 20 x 37 Cuba

27/05 (quarta-feira) – Semifinais
Brasil 26 x 15 Argentina
Cuba 32 x 26 Porto Rico

28/05 (quinta-feira) – Finais
Argentina 33 x 16 Porto Rico (disputa pelo terceiro lugar)
Brasil 26 x 22 Cuba

253470_503037_img_descr__2_Hoje, às 20h (horário de Brasília), Cuba e Brasil entram em quadra em Havana para a decisão do Campeonato Pan-Americano de Handebol Feminino. A partida terá transmissão apenas da TV cubana.

Para assistir a partida CLIQUE AQUI e acompanhe a transmissão que será do canal Tele Rebelde, uma das emissoras estatais de Cuba que dá grande destaque aos esportes. Em sinal aberto, claro, já que o país socialista não possui serviço de TV por assinatura.

Inclusive, uma pequena olhada na programação deles, e dá uma inveja danada. Nunca que um canal aberto no Brasil traria uma variedade tão grande de atrações esportivas.

cdtelerebelde

254027_505361_braxarg_06_web_A Seleção Feminina fez um de seus melhores jogos contra a Argentina, fechou o placar em 26 a 15 (16 a 5 no primeiro tempo) e garantiu vaga para a final do Pan-Americano de Handebol de Havana, Cuba.

Depois de partidas com muitos altos e baixos na fase grupos, as brasileiras entraram mais concentradas e vibrantes e fizeram uma partida excepcional. Na decisão, que acontece hoje, o confronto será diante das cubanas, donas da casa, às 20h (horário de Brasília) na Sala Polivalente Kid Chocolate, em Havana.

Jéssica Oliveira fez frande partida

Jéssica Oliveira fez frande partida

A Seleção não deu chances para a Argentina no primeiro tempo. Com a defesa impecável, o Brasil abriu 4 a 0 no placar em seis minutos de jogo, com destaque para os contra-ataques puxados pela central Francielle e para as defesas da goleira Jéssica Oliveira, que pegou praticamente todos os arremessos das argentinas no começo do jogo e terminou a partida com 57% de aproveitamento no gol. No ataque, a armadora esquerda Jaqueline Anastácio, inspirada, foi bem nos arremessos da linha de nove metros, ajudando a equipe a aumentar a diferença no placar para 12 a 1, em 17 minutos. Sem deixar o ritmo cair, o primeiro tempo terminou em 16 a 5 para o Brasil.

Na segunda etapa, a Argentina foi com tudo para buscar uma virada heroica, mas não teve força suficiente para penetrar a forte defesa brasileira, que continuava bloqueando o ataque argentino. Mesmo fazendo muitas trocas para rodar o time, a Seleção continuou com o bom ritmo e manteve os 11 gols de diferença, fechando o jogo em 26 a 15.

Francielle foi a destaque no início da partida

Francielle foi a destaque no início da partida

Para o técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubak, a equipe fez a melhor partida dentro do Pan-Americano de Havana. “Estou muito feliz por transformar nosso estilo em quadra. Conseguimos defender muito bem no primeiro tempo e a Jéssica foi excelente no gol. Infelizmente o time não manteve o mesmo ritmo no segundo tempo, mas estamos felizes pelo jogo e por estarmos na final. Na hora do mata-mata, temos jogadoras experientes que fazem a diferença”, declarou.

254027_505357_brasil_web_Para a armadora esquerda Jaqueline Anastácio, artilheira da partida com seis gols, a equipe evoluiu no momento certo. “Fomos aumentando o nível a cada jogo. Nossa meta era, quando encontrarmos um time mais forte, entrar mais concentradas e minimizar os erros. Mostramos o que o brasileiro tem de melhor, que é garra e determinação, e fizemos ótima partida. A motivação e vibração das meninas também me deram confiança para entrar bem no jogo”, disse ela, destacando a tática montada pelo treinador. “Antes do confronto ele alertou que a defesa delas ficava muito atrás e disse para eu usar o que tinha de melhor, que é o arremesso de longa distância. Fico feliz por ter ajudado a equipe a se classificar para a final”, finalizou.
Programação

21/05 (quinta-feira)
Venezuela 25 x 25 Porto Rico
Paraguai 25 x 18 Groenlândia
Brasil 28 x 14 Estados Unidos
Uruguai 29 x 27 Chile
Argentina 23 x 24 Cuba
México 34 x 15 Guatemala

22/05 (sexta-feira)
Groenlândia 26 x 26 Venezuela
Estados Unidos 24 x 25 Paraguai
México 30 x 24 Chile
Porto Rico 15 x 35 Brasil
Argentina 48 x 6 Guatemala
Cuba 44 x 19 Uruguai

23/05 (sábado)
Brasil 32 x 12 Groenlândia
Paraguai 31 x 26 Venezuela
Estados Unidos 20 x 23 Porto Rico
Argentina 31 x 20 Chile
Uruguai 37 x 37 México
Cuba 47 x 12 Guatemala

24/05 (domingo)
Paraguai 29 x 33 Porto Rico
Groenlândia 28 x 22 Estados Unidos
México 23 x 36 Argentina
Venezuela 16 x 33 Brasil
Uruguai 42 x 14 Guatemala
Chile 26 x 40 Cuba

25/05 (segunda-feira)
Porto Rico 27 x 26 Groenlândia
Venezuela 20 x 22 Estados Unidos
Brasil 28 x 22 Paraguai
Argentina 34 x 15 Uruguai
Guatemala 19 x 36 Chile
México 20 x 37 Cuba

27/05 (quarta-feira) – Semifinais
Brasil 26 x 15 Argentina
20h00 – Cuba 32×26 Porto Rico

28/05 (quinta-feira) – Final (horário de Brasília)
20h00 – Brasil x Cuba

253893_504826_treino26_23Depois de cinco dias seguidos de jogos pelo Pan-Americano de Handebol, a Seleção Feminina teve o primeiro dia voltado para treinamentos em Havana. O técnico do Brasil, Morten Soubak, aproveitou o único dia disponível de atividades para ajustar alguns pontos da equipe e preparar o grupo para o confronto contra a Argentina, às 16h (horário de Brasília) desta quarta-feira (27), na Sala Polivalente Kid Chocolate, pela semifinal da competição.

“Nesse treino de uma hora fizemos um ataque contra defesa, tentando nos preparar taticamente para o jogo contra a Argentina, que vai ser bem disputado, e focar nos detalhes que estamos tentando melhorar nas partidas”, explicou Morten.

O comandante da Seleção exaltou também a equipe argentina, que foi derrotada no Pan-Americano apenas por Cuba, por um gol de diferença. “A Argentina tem um time forte e organizado, que fez grande preparação na Europa. Está bem preparada tanto para esse torneio quanto para os Jogos Pan-Americanos de Toronto. A defesa delas é forte e fechada e o ataque bem estruturado. Além disso, o time tem várias jogadoras se destacando aqui em Cuba”, disse.

O Brasil se classificou invicto com cinco vitórias no primeiro lugar do grupo A e enfrenta a Argentina, segunda no grupo B, com quatro vitórias e uma derrota.

Programação

21/05 (quinta-feira)
Venezuela 25 x 25 Porto Rico
Paraguai 25 x 18 Groenlândia
Brasil 28 x 14 Estados Unidos
Uruguai 29 x 27 Chile
Argentina 23 x 24 Cuba
México 34 x 15 Guatemala

22/05 (sexta-feira)
Groenlândia 26 x 26 Venezuela
Estados Unidos 24 x 25 Paraguai
México 30 x 24 Chile
Porto Rico 15 x 35 Brasil
Argentina 48 x 6 Guatemala
Cuba 44 x 19 Uruguai

23/05 (sábado)
Brasil 32 x 12 Groenlândia
Paraguai 31 x 26 Venezuela
Estados Unidos 20 x 23 Porto Rico
Argentina 31 x 20 Chile
Uruguai 37 x 37 México
Cuba 47 x 12 Guatemala

24/05 (domingo)
Paraguai 29 x 33 Porto Rico
Groenlândia 28 x 22 Estados Unidos
México 23 x 36 Argentina
Venezuela 16 x 33 Brasil
Uruguai 42 x 14 Guatemala
Chile 26 x 40 Cuba

25/05 (segunda-feira)
Porto Rico 27 x 26 Groenlândia
Venezuela 20 x 22 Estados Unidos
Brasil 28 x 22 Paraguai
Argentina 34 x 15 Uruguai
Guatemala 19 x 36 Chile
México 20 x 37 Cuba

27/05 (quarta-feira) – Semifinais
16h00 – Brasil x Argentina
20h00 – Cuba x Porto Rico

253771_504392_braxpar_01Foram definidas as semifinais do do Campeonato Pan-Americano Feminino de Handebol, que está sendo disputado em Havana, Cuba. As disputas acontecem na próxima quarta-feira, 27/05.

Depois de uma fase de classificação bem disputada, a classificação das chaves ficou da seguinte forma:

Grupo A

  • Brasil 10pts
  • Porto Rico 7
  • Paraguai 6
  • Groelândia 3
  • EU 2
  • Venezuela 2

Grupo B

  • Cuba 10 pts
  • Argentina 8
  • México 5
  • Uruguai 5
  • Chile 2
  • Guatelamala 0

Semifinais, quarta-feira, 27/05 (horários de Brasília)
16h – Brasil x Argentina
20h – Cuba x Porto Rico

Jogos de posicionamento, também na quarta-feira (horários de Brasília)

9º ao 12º
10h – EUA x Guatemala
12h – Chile x Venezuela

5º ao 8º
14h – Paraguai x Uruguai
18h – México x Groelândia

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.