Arquivos para categoria: Mundial Feminino 2017
320301_726692_duenas_am_web_

Jorge Dueñas já passou por três cidades brasileiras (Divulgação)

O primeiro compromisso do técnico Jorge Dueñas no comando da Seleção Feminina de Handebol já está marcado. O espanhol, que assumiu este ano a equipe, após um longo tempo de trabalho à frente da Seleção Espanhola, escolheu 18 atletas para este teste inicial, que faz parte da preparação para o Mundial da Alemanha, em dezembro. O grupo ficará concentrado de 24 de setembro a 1° de outubro na França, onde fará dois jogos com as donas da casa.

A lista de convocadas mantém a mesma base que trabalhou com a Seleção no ciclo olímpico anterior e, conta também com outros nomes que foram agregados este ano para a disputa do Torneio Quatro Nações, no Brasil, e o Pan-Americano, na Argentina, enquanto o grupo esteve sob o comando do técnico interino Sergio Graciano, que agora assume a função de auxiliar, ao lado de Dueñas.

“Essa é a primeira convocação e contará com jogadoras experientes e algumas novas. Queremos manter a equipe que jogou bem o Pan-Americano, com algumas atletas jovens para ver a evolução delas no futuro. Busco atletas que possam atacar e defender bem. Teremos uma semana para ajustar o trabalho feito em junho e ir utilizando mais jogadoras, com algumas novidades no ataque e uma variação defensiva”, explicou o treinador espanhol.

A equipe ficará a maior parte do tempo na cidade de Brest, onde faz o primeiro jogo com a França no dia 29. A segunda partida será em Paris no dia 1° de outubro. Os amistosos são muito importantes no caminho da preparação para o Mundial da Alemanha, disputado de 2 a 17 de dezembro. O Brasil integra o grupo C, com sede em Oldenburg. Na mesma chave estão Dinamarca, Rússia, Montenegro, Japão e Tunísia.

Seleção Feminina de Handebol – Convocadas

Goleiras – Bárbara Arenhart (Vaci NKSE-Hungria), Gabriella Moreschi (Larvik HK-Noruega) e Mayssa Pessoa (Rostov Don-Rússia).

Armadoras – Bruna de Paula (Fleury Loiret Handball-França), Deonise Fachinello (CS Magura Cisnadie-Romênia), Eduarda Amorim (Gyori Audi ETO-Hungria), Juliana Malta (Dínamo Bucareste-Romênia) e Patrícia Batista da Silva (Kastamonu Belediye GSK-Turquia).

Centrais – Ana Paula Rodrigues Belo (Rostov Don-Rússia), Daniele Cristina Joia (EC Pinheiros-SP) e Francielle Gomes da Rocha (Vegus/Guarulhos-SP).

Pontas – Bruna Gonçalves Rodrigues (São Bernardo/Unip-SP), Dayane Pires da Rocha (São Bernardo/Unip-SP), Mariana Costa (CS Magura Cisnadie-Romênia) e Samira Rocha (Kisvarda Master Good SE-Hungria).

Pivôs – Lígia Costa Maia da Silva (Pogon Szczecin-Polônia), Tamires Costa (EC Pinheiros-SP) e Tamires Morena de Araújo (Larvik HK-Noruega).

Anúncios

O Brasil ainda comemora o décimo título pan-americano no handebol feminino, conquistado no domingo (25), mas já precisa pensar no passo seguinte. Nesta terça-feira (27) foram definidos os grupos do Mundial deste ano, disputado em dezembro, na Alemanha, e a Seleção campeã em 2013 já sabe quem irá enfrentar na primeira fase. As brasileiras estarão na chave C, com sede em Oldenburg, e jogam com Dinamarca, Rússia, Montenegro, Japão e Tunísia.

315174_712006_image_web_

Jorge Dueñas comandará a equipe no Mundial (Cinara Piccolo/Photo&Grafia )

É certo que o Brasil irá enfrentar adversários de muita tradição na modalidade já na primeira fase, como a Rússia, atual campeã olímpica, e a Dinamarca, um dos países berço do esporte. Os dois devem ser os oponentes mais complicados para a equipe, segundo Jorge Dueñas, técnico espanhol que irá assumir a equipe brasileira e estará no comando durante o Mundial. “É um grupo forte com Rússia e Dinamarca. Montenegro também é uma boa equipe, que se renovou. Contra o Japão a dificuldade é a velocidade com que jogam e a Tunísia é uma equipe mais frágil.”

Em caso de classificação para as oitavas, o grupo C cruza com o D, que joga em Leipzig e é composto por Holanda, Alemanha, Sérvia, Coreia do Sul, China e Camarões. “O grupo D traz grande dificuldade se jogarmos com Alemanha ou Holanda”, completou Dueñas que acompanhou à distância o desempenho da equipe nacional no Pan-Americano da Argentina. “O Brasil jogou muito bem, com uma boa defesa e um grande ataque.”

No grupo A, em Trier, ficaram França, Romênia, Espanha, Eslovênia, Angola e Paraguai. Já na chave D, com sede em Bietigheim-Bissigen, estão Noruega, Suécia, República Tcheca, Hungria, Argentina e Polônia.

Estão definidos os quatro grupos do Campeonato Mundial Feminino de Handebol, que será disputado em dezembro na Alemanha. O Brasil caiu na chave C, ao lado de Dinamarca, Montenegro, Tunísia, Rússia e Japão.

19437460_1388501504531456_1386434971902079516_n

Reproduzido do blog guiaolimpico.blogspot.com.br

Logo após a disputa do Mundial masculino na França, a Federação Internacional de Handebol (IHF) definiu as sedes dos Mundiais de Handebol feminino de 2021 e 2023. Em 2021, a Espanha será a sede do torneio, enquanto em 2023, a competição acontecerá em território nórdico, com Dinamarca, Noruega e Suécia recebendo a competição.
0_af8i1732

A Espanha será sede do Campeonato Mundial de Handebol feminino pela primeira vez na história. O país ibérico já recebeu o torneio masculino em 2013. A candidatura conjunta de Dinamarca, Noruega e Suécia é a primeira de um trio de países. Os três já receberam mundiais de Handebol, de outras maneiras.

Em 2017, o Mundial de Handebol feminino ocorrerá entre novembro e dezembro, na Alemanha. Em 2019, o torneio vai para a Ásia, sendo realizado no Japão, provavelmente no final do ano.

0_WWCh17_GER_news

A Federação Alemã de Handebol anunciou nesta segunda feira as seis cidades que sediarão o próximo Campeonato Mundial de Handebol Feminino, que será em solo germânico no ano de 2017.

As cidades que receberão os jogos na primeirafase serão: Leipzig, Magdeburg, Bietigheim, Trier, Oldenburg e Hamburgo. A cidade de Hamburgo será palco das semifinais e das finais.

O Mundial Feminino da Alemanha está previsto para dezembro de 2017.