Arquivos para categoria: Mercado do Handebol

O Taubaté Handebol segue reformulando seu elenco já visando a temporada 2017, e as principais mudanças até agora são nas posições de pontas.

Depois de anunciar ainda em dezembro a contratação dos pontas Guilherme Torriani (ex-Guarulhos) e Claryston Novais (ex-Juiz de Fora-MG), foi confirmada a saída de dois jogadores que compunham o elenco taubateano há vários anos, os também pontas Cléber Andrade e Alan Dieigon.

Segundo Rafael Akio, coordenador técnico do Taubaté Handebo, a saída dos dois atletas foi uma opção da diretoria, que está buscando reformular o elenco e reforçar a equipe.

Alan

Alan Dieigon

Cleber Andrade

Cleber Andrade

Anúncios
265533_545526_marcus_tata_web_

Marcus Tatá, técnico do Taubaté (Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

O técnico do Taubaté/FAB/Unitau, Marcus ‘Tatá’, embarcou esta semana para o Irã, onde irá prestar consultoria durante um mês para o Bita Sport Club. Comandante do time paulista que foi campeão da Liga Nacional e do Pan-Americano de Clubes em 2016, Tatá conta que o convite inicial era para que ele treinasse a equipe durante três meses.

“Por conta dos compromissos com o Taubaté não foi possível, então, conseguimos ajustar para um mês. Eu irei acompanhar o treinador e levar um pouco da filosofia de trabalho nossa, tanto de Taubaté quanto do Brasil. Nosso País hoje é visto com bons olhos não só para os atletas, mas para clubes e treinadores. Em todas as edições do Super Globe, o continente foi representado por equipes brasileiras e isso dá uma visibilidade bem grande”, lembrou.

Tatá afirma que será um experiência diferenciada e que pretende fazer um bom trabalho, mesmo que em um prazo curto. “É uma equipe tradicional, um clube com uma estrutura muito boa, por informações que tivemos. Para mim, está sendo algo diferente, por conhecer uma outra cultura e, principalmente, fazer um trabalho intenso de um mês para tentar ajudar a equipe o máximo que eu puder. Esse é o intuito. É muito bacana o clube abrir essas portas para nós.”

O treinador conclui dizendo que espera uma experiência muito positiva, pois além de passar o conhecimento adquirido ao longo dos anos de trabalho no Brasil, ele também acredita que pode aprender muito. “Profissionalmente será muito bom, porque não é somente o reconhecimento do meu trabalho e sim do handebol brasileiro, que hoje está em um patamar de crescimento e visibilidade. Será um grande desafio. Vou levar bastante material que temos do Brasil e, além disso, trocar informações e aprender também com eles. Acredito que essa troca é importante para qualquer área”, finalizou.

O ano nem terminou e o Taubaté Handebol, ainda comemorando o tricampeonato da Liga Nacional Masculina, já confirmou dois reforços para a temporada 2017.

Os dois jogadores são pontas, e estão na lista divulgada ontem pelo técnico Washington Nunes, com os 16 convocados para defender a seleção brasileira no Campeonato Mundial, que começa em 11 de janeiro na França.

Um deles é Guilherme Torriani, que em 2016 defendeu o time de Guarulhos. O outro é Claryston Novais, que vem do Juiz de Fora (MG).

A contratação dos atletas foi confirmada pelo técnico do Taubaté, Marcus Tatá.

Uma curiosidade: com a confirmação da contratação desses dois atletas que vão ao Mundial, o Taubaté mantém a escrita de fornecer jogadores para Mundiais desde a competição de 2011. Na ocasião, no torneio que foi disputado na Suécia, o armador Daniel Zepan foi o representante taubateano no elenco. Nas duas outras edições, o time também teve jogadores convocados.

cleryston

Claryston Novais (Foto reprodução)

guilherme

Guilherme Torriani (camisa nº 6 ao centro) (foto reprodução)

 

Logo após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Lucas Cândido, ponta direita que defendeu a Seleção Brasileira, anunciou que estava deixando o Taubaté Handebol rumo ao handebol europeu.

Depois de 4 anos defendendo a equipe do Vale do Paraíba, ele acertou sua transferência para o AD Ciudad de Guadalajara, da Espanha. No último domingo, ele finalmente fez sua estreia na Liga Asobal, campeonato nacional de handebol da Espanha.

Apesar da boa estreia, anotando 3 gols em 3 tentativas de arremesso, isso não foi suficiente para evitar a derrota de sua equipe, que perdeu fora de casa  para o Villa Aranda, por 29 a 26.

14702431_685622011593946_7986564851512589039_n

Camisa nº 6, usada por Lucas Cândido em sua nova equipe (Foto Divulgação)

Olympics Day 7 - Swimming

Campeão olímpico em 2012 e grande rival de Cesar Cielo no auge da carreira do brasileiro, o francês Florent Manaudou decidiu se dedicar a um novo esporte. Nesta terça-feira, o nadador de 25 anos surpreendeu ao anunciar que deixará as piscinas um pouco de lado para iniciar uma trajetória em outra modalidade, o handebol.

Manaudou revelou que pratica o handebol há 10 anos e que já iniciou os treinos no clube profissional Aix-en-Provence. O francês ainda explicou que tomou a decisão para “evitar continuar (na natação) sem prazer e pelas razões erradas”.

“Quero preservar e manter intacto o prazer, que tem sido meu motor principal durante estes oito anos (de natação). Por isso, eu decidi fazer um parênteses no meu triplo treinamento cotidiano (dois de natação e um de musculação)”, escreveu Manaudou em uma carta aberta.

Manaudou já explicou que não está abandonando por completo a natação e seguirá disputando algumas competições, como o Campeonato Francês interclubes em novembro, apenas decidiu diminuir a intensidade de seu trabalho. O nadador ainda esclareceu que esta decisão não é permanente e que pode retomar os treinamentos normalmente a qualquer momento.

O francês ficou com o ouro nos 50m livre nos Jogos de Londres, em 2012, quando Cesar Cielo, então atual campeão olímpico da prova, era considerado um dos grandes favoritos. Manaudou ainda conquistou quatro títulos mundiais e faturou duas medalhas de prata na Olimpíada do Rio, nos 50m livre e no revezamento 4x100m livre.

Agora, o nadador vai “dar o melhor e tentar achar uma fonte diferente de prazer” no handebol. Manaudou explicou que se inspirou nos casos dos norte-americanos Anthony Ervin e Michael Phelps, que deram pausas na carreira e conseguiram voltar a competir em alto nível. “Fiquei com a lição de vida dada por Anthony Ervin e sua volta vencedora e a gestão de carreira de Michael Phelps.”

(Via Estadão)

Maik goleiro

Um dos principais jogadores do Taubaté Handebol nos últimos anos se despediu da equipe e já está do outro lado do mundo. O goleiro Maik, que esteve também na Olimpíada do Rio de Janeiro, se transferiu para o Al Ryyan, do Qatar.

A proposta do time qatariano para o goleiro brasileiro de 36 anos veio logo depois da disputa do último Super Globe, em Doha, quando o Taubaté Handebol terminou com a 7ª posição. O jogador já está no Qatar onde está integrado ao novo clube.

Pelo Taubaté, Maik jogou de 2013 a 2016. Foram quatro títulos Pan-Americanos de Clubes (2013, 2014, 2015 e 2016); duas Ligas Nacionais (2013 e 2014) e um Campeonato Paulista (2015).

Por Thierry Gozzer, do Globoesporte.com
O fim da temporada europeia começa a movimentar o tabuleiro do mercado. E as brasileiras estão envolvidas em diversas mudanças na elite do handebol feminino mundial. Com as transações, grande parte da seleção brasileira que busca o ouro inédito no Rio 2016 terá nova casa antes mesmo das Olimpíadas. Para a temporada 2016/17 terão um novo clube as goleiras Mayssa e Babi, a central Ana Paula, as pontas Jéssica Quintino, Alê Nascimento e Fernanda, as armadoras Deonise e Karol Souza e a pivô Tamires Morena.

272182_567156_image_web_
Campeã da Champions League pelo Bucuresti, a goleira Mayssa deixou o clube da Romênia e vai jogar agora pelo Vardar, da Macedônia. Além dela, a ponta direita Alê Nascimento, que estava no Baia Mare, também da Romênia, será companheira de clube da armadora Karol Souza e da goleira Babi no Váci, da Hungria. Karol e Babi deixam a Dinamarca, onde jogavam no Nykøbing.

13173129_1088453117875133_7866684073818809984_o

Ana Paula Rodrigues e Fernanda Silva deixam o Bucuresti, da Romênia (Foto: Divulgação/Bucuresti)

A ponta Jéssica Quintino sai da Polônia para jogar na Dinamarca, no Odense, mesmo destino da central Ana Paula e de Deonise. Já a pivô Tamires Morena, após passagens por Gyori e seu Time B, vai para o  Dijon Bourbone, da França. Por último, Fernanda, que não participou da final da Champions League pelo Bucuresti, defenderá o Bietigheim, da Alemanha, que também tem a armadora Jaqueline Anastácio.

222291_401159_duda_2

Duda Amorim, melhor jogadora de handebol do mundo em 2014, renovou contrato com seu clube na Hungria (Foto Arquivo)

Se algumas trocam de time, o destino da capitã Dara é diferente. Ela já havia anunciado a aposentadoria e deixa o  Bietigheim. Capitã do time de Morten Soubak, ela só estará em ação nos Jogos Olímpicos. Ídolo no Gyori, da  Hungria, Duda renovou contrato com o time por mais três anos. A pivô Dani Piedade também vai continuar no país jogando pelo Siófok KC. Jogadora do Nice, da França, a ponteira Samira ainda não teve seu destino selado.

– Estou muito orgulhosa de continuar a jogar no Gyor, é uma oportunidade excepcional para mim. É uma enorme motivação jogar em um clube tão prestigiado. Sinto que ainda posso continuar a evoluir. Sinto que fiz a melhor decisão ao continuar aqui – disse Duda à época da renovação com o Gyori.

No Brasil, a armadora Amanda Andrade e ponta Larissa devem permanecer no Concórdia, enquanto a armadora Hannah Nunes está no Metodista. Já a central Mayara joga no Pinheiros, de São Paulo

A partir desta quinta-feira, a seleção brasileira se reúne na Áustria para mais um período de treinos visando os Jogos Olímpicos. Além dos treinos, o Brasil fará atividades contra a seleção da Dinamarca, que não virá aos Jogos, e a Eslováquia. Depois, no fim de junho, o time se encontra novamente, desta vez no Rio de Janeiro, quando deve fazer um amistoso na Arena do Futuro, no Parque Olímpico da Barra, com um rival que ainda será definido. Em julho, o time faz o período final de treinos, também na Cidade Maravilhosa.