300224_662006_image_web_

Juliana Malta, armadora esquerda (Alexandre Loureiro/Photo&Grafia)

Nesta sexta-feira (25), a Seleção Feminina de Handebol inicia, em Belém (PA), a primeira etapa de treinamentos após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e também a última de 2016.

 

A equipe ficará concentrada durante dez dias e o ponto alto da fase será a disputa do II Torneio Quatro Nações, nos dias 1, 2 e 3 de dezembro, com as equipes de Cuba, Eslováquia e Uruguai. Uma grande oportunidade para encontrar o público da região Norte, fã da modalidade.

A competição servirá como uma espécie de aquecimento para o novo ciclo e para que o técnico Morten Soubak comece a moldar os rumos da equipe daqui para a frente. Campeão mundial em 2013, o Brasil passou a fazer parte da elite mundial da modalidade e almeja alçar voos tão altos quanto esse novamente, mas agora é um momento de muita concentração e planejamento, já que boa parte do grupo que trabalhou nos últimos anos não veste mais a camisa verde e amarela.

A transição já começou há algum tempo, tanto é que a equipe contava nos compromissos mais recentes com atletas de muita experiência e outros jovens talentos que já fazem parte da Seleção e têm disputado os principais campeonatos internacionais. No entanto, neste momento, a cara do conjunto mudou ainda mais.

Uma das convocadas, a armadora esquerda Juliana Malta, já vem trabalhando com a equipe há algum tempo, incluindo também nas categorias de base da Seleção, e ganhou uma larga experiência com o treinador dinamarquês. A pernambucana treinou com a Seleção até a ida da equipe para os Jogos Olímpicos do Rio, mas acabou ficando de fora, já que haviam apenas 14 vagas. Agora, com o recomeço do trabalho, ela tem uma grande expectativa com relação aos novos rumos da equipe.

“Já estou com o Morten desde 2009, quando ele também comandava as Seleções de base, na Adulta estou desde 2013. Acredito que teremos ainda mais trabalho a ser feito, já que peças importantes se despediram da nossa equipe, mas com certeza a nova geração vem com tudo, com sede de se tornar do mesmo nível ou melhor do que aquelas que representaram tão bem a nossa Seleção”, afirmou Juliana.

Ela acredita que a equipe irá encontrar um caminho rápido para lidar com tantas mudanças e com os novos objetivos propostos para o ciclo. “Acho que a renovação do elenco sempre é importante depois de um ciclo olímpico, visto que agora temos quatro anos para nos prepararmos para a próxima Olimpíada, em Tóquio. Mudanças sempre são difíceis, mas são necessárias visando ao melhor para o futuro da nossa equipe.”

A armadora se mostra empolgada para encontrar o público de Belém (PA) pela primeira vez e poder levar o handebol a ainda mais regiões do País. “Será a minha primeira vez em Belém. Já pesquisei e vi que iremos utilizar um ginásio lindo. Com certeza, nós também estaremos felizes e nos preparando para termos um recomeço com a Seleção, inclusive com a passagem por novos lugares, como Belém”, apontou.

Tabela de jogos do II Torneio Quatro Nações Feminino de Handebol
(horário de Brasília)

Quinta-feira (1)
16h – Uruguai x Eslováquia
18h45 – Brasil x Cuba

Sexta-feira (2)
19h – Eslováquia x Cuba
21h30 – Brasil x Uruguai

Sábado (3)
11h – Brasil x Eslováquia
13h – Cuba x Uruguai

Anúncios