Em um jogo tenso – dentro e fora de quadra – disputado na noite desta quinta-feira, 27/10, em Taubaté, o Taubaté Handebol não conseguiu igualar a série final do Super Paulistão Masculino de Handebol, e acabou derrotado pelo E.C. Pinheiros por 22 a 26 (13 a 15 no primeiro tempo).

Com o resultado, o Pinheiros conquista o título estadual masculino, pois já havia vencido a primeira partida por 26 a 23, na terça feira.

O jogo
Comandando o placar por praticamente todo o jogo, o Pinheiros mostrou mais consistência nos ataques e melhor aproveitamento nas roubadas de bola. O Taubaté, mesmo contando com todos os seus jogadores, não conseguiu se encontrar na partida, cometendo muitos erros de ataque e não conseguindo encaixar um ritmo de jogo para diminuir a vantagem.

O primeiro tempo foi de amplo domínio do Pinheiros no marcador, e o goleiro Marcão garantiu a vitória com uma ótima atuação. O Taubaté esboçou uma reação no final da primeira etapa, quando diminuiu a diferença para apenas 2 gols.

Na volta do intervalo, o Pinheiros retomou o controle do jogo e seguiu com vantagem confortável, variando de 3 a 4 gols. Somente próximo aos 20 minutos do segundo tempo que o Taubaté realmente mostrou força e reagiu na partida. Apoiado por sua torcida, que compareceu em bom número ao ginásio da Emecal, os taubateanos chegaram a empatar o jogo em 22 a 22.

No entanto, o goleiro Marcão seguiu fazendo defesas decisivas, e o ataque da equipe paulistana manteve o bom aproveitamento. Fim de jogo, festa do Pinheiros em plena casa taubateana.

Cenas lamentáveis na arquibancada
Nota opinativa, por Ronaldo Casarin:

O fato triste fica por conta, mais uma vez, da postura desagradável e irresponsável de integrantes da “torcida” do E.C. Pinheiros. Perto dos 10 minutos do segundo tempo, um dos atletas do Pinheiros que não estava relacionado para o jogo – não consegui identificá-lo -, passou atrás do banco de reservas do Taubaté, e fez comentários a um de seus companheiros em quadra, claramente em tom de provocação aos taubateanos.

Dois integrantes da comissão técnica do Taubaté não gostaram da postura do atleta e iniciaram um bate-boca. Torcedores locais viram o ocorrido e começaram a se aglomerar no setor da arquibancada onde a discussão acontecia.

O bate-boca esquentou e um empurra-empurra iniciou-se, com ameaças e xingamentos. Na confusão generalizada, uma cadeira foi arremessada, tendo atingido o tal atleta pinheirense que começou toda a confusão.

A segurança do ginásio e guardas municipais chegaram rapidamente para apaziguar os ânimos e garantir que nenhum outro incidente ocorresse.

Vale lembrar que o histórico de confusões iniciadas por atletas e/ou torcedores do Pinheiros em decisões em Taubaté não é novo. Em pelo menos duas oportunidades houve confusão nas arquibancadas por conta da postura infantil dos pinheirenses em provocar o público local.

Os mais recentes fatos foram nas finais do Pan-Americano de Clubes de 2014 e 2015, onde nas duas ocasiões, também por conta de provocações dirigidas aos taubateanos, os pinheirenses causaram tumulto nas arquibancadas.

Se dentro de quadra a equipe paulistana foi nota 10 pelo título conquistado, do lado de fora, só reforçou sua péssima imagem e tradição de clube elitista.

Anúncios