Por Thierry Gozzer, do Globoesporte.com
O fim da temporada europeia começa a movimentar o tabuleiro do mercado. E as brasileiras estão envolvidas em diversas mudanças na elite do handebol feminino mundial. Com as transações, grande parte da seleção brasileira que busca o ouro inédito no Rio 2016 terá nova casa antes mesmo das Olimpíadas. Para a temporada 2016/17 terão um novo clube as goleiras Mayssa e Babi, a central Ana Paula, as pontas Jéssica Quintino, Alê Nascimento e Fernanda, as armadoras Deonise e Karol Souza e a pivô Tamires Morena.

272182_567156_image_web_
Campeã da Champions League pelo Bucuresti, a goleira Mayssa deixou o clube da Romênia e vai jogar agora pelo Vardar, da Macedônia. Além dela, a ponta direita Alê Nascimento, que estava no Baia Mare, também da Romênia, será companheira de clube da armadora Karol Souza e da goleira Babi no Váci, da Hungria. Karol e Babi deixam a Dinamarca, onde jogavam no Nykøbing.

13173129_1088453117875133_7866684073818809984_o

Ana Paula Rodrigues e Fernanda Silva deixam o Bucuresti, da Romênia (Foto: Divulgação/Bucuresti)

A ponta Jéssica Quintino sai da Polônia para jogar na Dinamarca, no Odense, mesmo destino da central Ana Paula e de Deonise. Já a pivô Tamires Morena, após passagens por Gyori e seu Time B, vai para o  Dijon Bourbone, da França. Por último, Fernanda, que não participou da final da Champions League pelo Bucuresti, defenderá o Bietigheim, da Alemanha, que também tem a armadora Jaqueline Anastácio.

222291_401159_duda_2

Duda Amorim, melhor jogadora de handebol do mundo em 2014, renovou contrato com seu clube na Hungria (Foto Arquivo)

Se algumas trocam de time, o destino da capitã Dara é diferente. Ela já havia anunciado a aposentadoria e deixa o  Bietigheim. Capitã do time de Morten Soubak, ela só estará em ação nos Jogos Olímpicos. Ídolo no Gyori, da  Hungria, Duda renovou contrato com o time por mais três anos. A pivô Dani Piedade também vai continuar no país jogando pelo Siófok KC. Jogadora do Nice, da França, a ponteira Samira ainda não teve seu destino selado.

– Estou muito orgulhosa de continuar a jogar no Gyor, é uma oportunidade excepcional para mim. É uma enorme motivação jogar em um clube tão prestigiado. Sinto que ainda posso continuar a evoluir. Sinto que fiz a melhor decisão ao continuar aqui – disse Duda à época da renovação com o Gyori.

No Brasil, a armadora Amanda Andrade e ponta Larissa devem permanecer no Concórdia, enquanto a armadora Hannah Nunes está no Metodista. Já a central Mayara joga no Pinheiros, de São Paulo

A partir desta quinta-feira, a seleção brasileira se reúne na Áustria para mais um período de treinos visando os Jogos Olímpicos. Além dos treinos, o Brasil fará atividades contra a seleção da Dinamarca, que não virá aos Jogos, e a Eslováquia. Depois, no fim de junho, o time se encontra novamente, desta vez no Rio de Janeiro, quando deve fazer um amistoso na Arena do Futuro, no Parque Olímpico da Barra, com um rival que ainda será definido. Em julho, o time faz o período final de treinos, também na Cidade Maravilhosa.

Anúncios