Foram definidos nesta quarta-feira (18) os grupos do Mundial Juvenil Feminino de Handebol, que será disputado em Bratislava, na Eslováquia, de 19 a 31 de julho.

O Brasil está na chave B, ao lado de Hungria, Suécia, China, Espanha e República Democrática do Congo.

283488_604162_280653_594561_image_web_
Mesmo embalado pelo título invicto do Pan-Americano disputado no Chile, em abril, o técnico da Seleção Juvenil, Cristiano Rocha, acredita que terá grandes desafios na primeira fase da competição. “Campeonato Mundial é sempre difícil. Todas as equipes passaram por eliminatórias para chegar aqui. Temos três europeus com muita tradição e um times asiático e outro africano. Já estávamos nos preparando para encarar um grupo de qualidade como esse. Com isso, nossa ideia é passar para a segunda fase com uma boa colocação para depois buscar melhores resultados”, afirmou.

Além do título continental, a Seleção Juvenil vem também de uma sétima colocação no Mundial da Macedônia, em 2014, melhor posição da história da categoria. Para o treinador, o bom retrospecto da equipe só mostra como o handebol brasileiro vem evoluindo. “A cada torneio que passa o Brasil mostra que é forte no handebol. Os resultados estão melhorando ano a ano, tanto na equipe principal quanto nas categorias de base. Por esse histórico recente, as outras seleções já nos encaram com máxima atenção”, disse Cristiano.

13239873_1012334662148144_427046869067514603_n
A Seleção Juvenil Feminina ainda tem mais duas fases de treinamentos antes do Mundial da Eslováquia. A próxima está marcada para a segunda metade de junho e a última para o meio de julho, um pouco antes do início da competição. O Brasil garantiu vaga para o Mundial depois de conquistar o título do Pan-Americano do Chile, em abril. Argentina, Paraguai e Chile serão os outros representantes da América no campeonato.

Anúncios