Fábio Chiuffa (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

Fábio Chiuffa (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

A final do handebol masculino desta edição dos Jogos Pan-Americanos será um clássico das Américas. Pela quarta vez consecutiva, Brasil e Argentina se enfrentam na final da competição, que será no Coliseu de Toronto, no Canadá, neste sábado (25), às 21h (horário de Brasília).

O canal Record News vai transmitir a partida ao vivo.

“A Argentina é uma equipe que está há muito tempo junta e isso sempre dá um plus. Os atletas se conhecem bem e isso é um fator favorável para eles, além de serem muito compenetrados”, comentou o técnico Jordi Ribera.

“Não podemos esquecer que eles ganharam da gente o Pan-Americano – em Uruguai, em junho do ano passado, por 30 a 19 -, venceram os Jogos Pan-Americanos do México e, portanto, com essa estatística recente, estão em nossa frente. Além disso, o elenco tem ainda o Diego Simonet, que faz a diferença, e que tem atuado muito bem na França”, elogiou o espanhol, comentando sobre o argentino que joga no Montpellier Agglomération.

Para conquistar o ouro, Jordi afirma que, principalmente, os brasileiros têm que manter a cabeça no lugar. “As finais com a Argentina sempre usamos mais coração e menos de cabeça, mas temos que buscar o equilíbrio entre uma coisa e outra. Precisamos jogar com vontade, inteligência, saber tomar as decisões corretas e ser efetivos. Para ganhar temos que estar concentrados, não podemos perder muitas bolas, pois sabemos que eles saem bem ao contra-ataque, e também é importante defender melhor. O nosso objetivo é ganhar”, destacou.

Espanhol Jordi Ribera, técnico da Seleção Brasileira Masculina (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

Espanhol Jordi Ribera, técnico da Seleção Brasileira Masculina (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

Após vencer os hermanos em Santo Domingo/2003 e no Rio de Janeiro/2007, os brasileiros foram superados em Guadalajara/2011 pelo placar de 26 a 23. Daquela equipe, oito estão em Toronto, entre eles o armador e capitão Fernando Pacheco, o Zeba. As 32 anos, ele contou enfrentar os argentinos, pelo menos, desde os 14, e que quer fechar esse Pan com chave de ouro.

“Como capitão, eu tento passar para os meninos que será um jogo muito difícil, duro, mas que, acima de tudo, temos que confiar em nosso trabalho. A partida será definida nos detalhes e temos que pensar que, para ganhar, precisamos ter cabeça, estar bem dentro de quadra, saber trabalhar cada uma das ações e tomar as decisões corretas. Como é normal, espero uma confronto tenso, mas o nosso pensamento é somente vencer”, explicou Zeba.

Fernando Pacheco, o Zeba, capitão do Brasil (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

Fernando Pacheco, o Zeba, capitão do Brasil (Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

No Pan de Toronto, as equipes têm um retrospecto parecido. Os brasileiros superaram o Canadá (34 a 17), o Uruguai (38 a 18) e a República Dominicana (48 a 18), na primeira etapa, e passaram pelo Chile (34 a 24) na semifinal. Já a Argentina venceu Cuba (35 a 18), Porto Rico (38 a 22) e Chile (30 a 23) na etapa classificatória, e ganharam do Uruguai (20 a 12) na semifinal, ontem. Na artilheria da competição, o argentino Federico Fernandez aparece na segunda colocação, com 28 gols. Fábio Chiuffa, em oitavo, com 20, é o melhor brasileiro na lista.

A rodada de amanhã terá ainda a disputa do bronze entre Chile e Uruguai, às 18h30. Porto Rico e Cuba jogam às 14h para definir o quinto lugar. Já a sétima colocação será do vencedor entre Canadá e República Dominicana, que se encontram às 11h30.

Seleção Feminina – Brasil e Argentina fazem as finais dos dois naipes. Pelo feminino, a decisão do ouro será nesta sexta-feira (24), às 21h (horário de Brasília).

Anúncios