255328_510045_braxchi_53_web_O Brasil conquistou a segunda vitória no Torneio Quatro Nações Masculino de Handebol ao vencer o Chile, por 34 a 21 (18 a 12 no primeiro tempo), no Ginásio Poliesportivo Ronaldo Cunha Lima, o Ronaldão, em João Pessoa (PB).

A Seleção encontrou dificuldade em encaixar a marcação no começo da partida, mas se acertou ao longo do jogo para bater a complicada equipe chilena.

255328_510046_braxchi_48_web_

César Bombom, goleiro

Apesar de ter aberto o placar, o Brasil sentiu dificuldades para acertar a marcação e o Chile logo ficou em vantagem no marcador. Sentindo o mau momento da equipe, o técnico Jordi Ribera pediu tempo técnico e acertou o time. Mudando o sistema de marcação e explorando os arremessos de nove metros do armador esquerdo Raul Nantes, o Brasil passou à frente do placar, não levou mais sustos e fechou o primeiro tempo em 18 a 12.

A segunda etapa começou equilibrada. Precisando da vitória para ter alguma chance de levar o troféu do torneio, o Chile jogou mais pesado na defesa e foi para o ataque com tudo. Porém, com boa vantagem no marcador, o Brasil soube administrar a partida com tranquilidade. Na segunda metade do período, com o Chile já entregue, a Seleção começou a aumentar a vantagem e fechou o jogo em 34 a 21.

255328_510047_braxchi_32_web_Para o técnico do Brasil, o espanhol Jordi Ribera, a troca do sistema de marcação foi fundamental na partida. “Não começamos bem no jogo. Iniciamos com a defesa 5-1 e o Chile soube aproveitar os espaços. Quando mudamos para o sistema 6-0, fechamos esses espaços e conseguimos abrir vantagem. No segundo tempo jogamos muito melhor e o Chile entrou em quadra mais lento, o que facilitou o trabalho da nossa defesa”, analisou.

O central Henrique Teixeira, que atua na maior parte do tempo na defesa, concordou com a visão do treinador. “O Chile talvez seja a equipe que melhor se adaptou ao nosso sistema 5-1. Eles têm jogadores rápidos que sabem achar os espaços na quadra. Quando mudamos para o 6-0, nossa defesa ficou mais alta e dificultou para o time deles, que não têm uma estatura muito alta”, declarou.

Rogério, pivô

Rogério, pivô

Para o técnico chileno Fernando Capurro, a partida foi muito parecida com a do Mundial do Qatar, quando o Chile surpreendeu o Brasil no primeiro tempo, mas caiu muito de rendimento na segunda etapa. “Fizemos um bom começo de jogo, mas o Brasil mudou o sistema de marcação e dificultou as nossas ações. No segundo tempo o goleiro César ‘Bombom’ foi muito bem e ajudou os brasileiros. Foi uma partida parecida com a do Mundial do Qatar, o que prova que temos de achar alternativas para superar a defesa 6-0 do Brasil”, disse.

O próximo confronto do Brasil será neste sábado (13), às 11h, contra a Tunísia, na decisão do campeonato. A partida será trabsmitida ao vivo pelo canal por assinatura SporTV.

Já o Chile vai enfrentar Cuba, às 9h, brigando pelo terceiro lugar. Os dois duelos serão no Ginásio O Ronaldão, em João Pessoa (PB).

Programação

Quarta-feira (10/06)
Chile 18 x 25 Tunísia
Brasil 43 x 32 Cuba

Quinta-feira (11/06)
Tunísia 34 x 33 Cuba
Brasil 34 x 21 Chile

Sábado (13/06)
9h – Cuba x Chile
11h – Brasil x Tunísia (TV: ao vivo no SporTV)

Anúncios