O Pan-Americano de Handebol disputado em Havana, Cuba, foi especial para duas atletas brasileiras. A central Gabi Constantino, de apenas 20 anos, e a armadora Vitória Macedo, a Vika, de 24, debutaram na Seleção Feminina Adulta durante a competição continental, se destacaram em algumas partidas e foram campeãs de primeira viagem defendendo as cores do Brasil.

Para a armadora Vika, a vivência com as atletas com mais experiência de Seleção foi muito importante. “Representar o Brasil é sempre bom. Participar pela primeira vez da categoria Adulta e logo de cara ser campeã do Pan-Americano foi sensacional. Não conhecia as meninas mais experientes como a Dara e a Dani Piedade e tinha uma visão totalmente diferente delas. Me apaixonei pelas duas. Elas são cativantes demais e passaram um pouco de experiência para as mais jovens”, disse.

Vika ouvindo instruções de Morten Soubak

Vika ouvindo instruções de Morten Soubak

Já a central Gabi, que começou jogando todas as partidas do Pan-Americano e foi uma das destaques do Brasil na final, a primeira experiência na Seleção foi muito boa. “Aprendi bastante com as meninas mais velhas, foi muito legal. Que bom que saímos campeãs. Fiquei muito nervosa no começo do campeonato, mas fui me soltando como todo o time no final. Agora espero ser convocada mais e mais vezes”, afirmou.

Gabriela Constantino, central

Gabriela Constantino, central

A ponta esquerda Larissa Araújo, de 22 anos, foi outra que teve uma das primeiras experiências na Seleção Adulta. Ela havia sido convocada apenas para um torneio amistoso em Angola, no começo do ano, e pela primeira vez jogou uma competição oficial na categoria Adulta pelo Brasil.

Larissa, ponta esquerda

Larissa, ponta esquerda

“Para mim foi maravilhoso. Foi uma experiência única, me senti à vontade com esse grupo e voltamos para casa com o sentimento de dever cumprido. A gente foi se superando a cada jogo e mostramos realmente o que podíamos na semifinal e final com aquela característica de garra e vibração das brasileiras”, disse ela, que teve a responsabilidade de jogar durante os 60 minutos da final contra Cuba e boa parte da semifinal diante da Argentina.

Anúncios