254027_505361_braxarg_06_web_A Seleção Feminina fez um de seus melhores jogos contra a Argentina, fechou o placar em 26 a 15 (16 a 5 no primeiro tempo) e garantiu vaga para a final do Pan-Americano de Handebol de Havana, Cuba.

Depois de partidas com muitos altos e baixos na fase grupos, as brasileiras entraram mais concentradas e vibrantes e fizeram uma partida excepcional. Na decisão, que acontece hoje, o confronto será diante das cubanas, donas da casa, às 20h (horário de Brasília) na Sala Polivalente Kid Chocolate, em Havana.

Jéssica Oliveira fez frande partida

Jéssica Oliveira fez frande partida

A Seleção não deu chances para a Argentina no primeiro tempo. Com a defesa impecável, o Brasil abriu 4 a 0 no placar em seis minutos de jogo, com destaque para os contra-ataques puxados pela central Francielle e para as defesas da goleira Jéssica Oliveira, que pegou praticamente todos os arremessos das argentinas no começo do jogo e terminou a partida com 57% de aproveitamento no gol. No ataque, a armadora esquerda Jaqueline Anastácio, inspirada, foi bem nos arremessos da linha de nove metros, ajudando a equipe a aumentar a diferença no placar para 12 a 1, em 17 minutos. Sem deixar o ritmo cair, o primeiro tempo terminou em 16 a 5 para o Brasil.

Na segunda etapa, a Argentina foi com tudo para buscar uma virada heroica, mas não teve força suficiente para penetrar a forte defesa brasileira, que continuava bloqueando o ataque argentino. Mesmo fazendo muitas trocas para rodar o time, a Seleção continuou com o bom ritmo e manteve os 11 gols de diferença, fechando o jogo em 26 a 15.

Francielle foi a destaque no início da partida

Francielle foi a destaque no início da partida

Para o técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubak, a equipe fez a melhor partida dentro do Pan-Americano de Havana. “Estou muito feliz por transformar nosso estilo em quadra. Conseguimos defender muito bem no primeiro tempo e a Jéssica foi excelente no gol. Infelizmente o time não manteve o mesmo ritmo no segundo tempo, mas estamos felizes pelo jogo e por estarmos na final. Na hora do mata-mata, temos jogadoras experientes que fazem a diferença”, declarou.

254027_505357_brasil_web_Para a armadora esquerda Jaqueline Anastácio, artilheira da partida com seis gols, a equipe evoluiu no momento certo. “Fomos aumentando o nível a cada jogo. Nossa meta era, quando encontrarmos um time mais forte, entrar mais concentradas e minimizar os erros. Mostramos o que o brasileiro tem de melhor, que é garra e determinação, e fizemos ótima partida. A motivação e vibração das meninas também me deram confiança para entrar bem no jogo”, disse ela, destacando a tática montada pelo treinador. “Antes do confronto ele alertou que a defesa delas ficava muito atrás e disse para eu usar o que tinha de melhor, que é o arremesso de longa distância. Fico feliz por ter ajudado a equipe a se classificar para a final”, finalizou.
Programação

21/05 (quinta-feira)
Venezuela 25 x 25 Porto Rico
Paraguai 25 x 18 Groenlândia
Brasil 28 x 14 Estados Unidos
Uruguai 29 x 27 Chile
Argentina 23 x 24 Cuba
México 34 x 15 Guatemala

22/05 (sexta-feira)
Groenlândia 26 x 26 Venezuela
Estados Unidos 24 x 25 Paraguai
México 30 x 24 Chile
Porto Rico 15 x 35 Brasil
Argentina 48 x 6 Guatemala
Cuba 44 x 19 Uruguai

23/05 (sábado)
Brasil 32 x 12 Groenlândia
Paraguai 31 x 26 Venezuela
Estados Unidos 20 x 23 Porto Rico
Argentina 31 x 20 Chile
Uruguai 37 x 37 México
Cuba 47 x 12 Guatemala

24/05 (domingo)
Paraguai 29 x 33 Porto Rico
Groenlândia 28 x 22 Estados Unidos
México 23 x 36 Argentina
Venezuela 16 x 33 Brasil
Uruguai 42 x 14 Guatemala
Chile 26 x 40 Cuba

25/05 (segunda-feira)
Porto Rico 27 x 26 Groenlândia
Venezuela 20 x 22 Estados Unidos
Brasil 28 x 22 Paraguai
Argentina 34 x 15 Uruguai
Guatemala 19 x 36 Chile
México 20 x 37 Cuba

27/05 (quarta-feira) – Semifinais
Brasil 26 x 15 Argentina
20h00 – Cuba 32×26 Porto Rico

28/05 (quinta-feira) – Final (horário de Brasília)
20h00 – Brasil x Cuba

Anúncios