Arthur Patrianova, armador

Arthur Patrianova, armador

Jogando na noite da última sexta-feira, 31/10, o Brasil mostrou força e maturidade em quadra e venceu o Egito depois de um jogo bastante tenso. O placar terminou 23 a 20 (10 a 13 no primeiro tempo), no ginásio poliesportivo Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo (SP). A Argentina abriu a rodada com um resultado positivo contra a Argélia, por 27 a 15 (13 a 7).

O Brasil teve bastante dificuldade contra o Egito no primeiro tempo. Os visitantes mostraram que vieram com um jogo forte, com eficiência no ataque e na defesa e terminaram o primeiro tempo na frente. Na segunda metade da partida, o Brasil começou a encaixar melhor os contra-ataques e dificultar as investidas egípcias, com uma defesa bem colocada. Aos 15 minutos, conseguiram diminuir a diferença para apenas um gol. Logo depois, a partida empatou e o placar congelou em 18 a 18 por mais de sete minutos. O jogo começou a ficar bastante tenso, mas os brasileiros souberam colocar a cabeça no lugar e manter o controle para abrir uma diferença de três gols.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Para o técnico Jordi Ribera, por mais tensa que a partida tenha sido, ensinou muita coisa a todo o grupo. “Sempre que se ganha um jogo tão complicado como este, que foi muito difícil no segundo tempo, isso ajuda a configurar o grupo. O jogo estava muito duro nos primeiros minutos do segundo tempo, mas soubemos arrumar a defesa, não nos precipitamos e fomos tirando a diferença pouco a pouco. Tivemos mais maturidade e todos os jogadores que participaram, sobretudo os que estiveram nesta última parte foram muito bem”, elogiou o treinador.

O espanhol acredita que um grande trabalho em grupo foi feito hoje. “Podia acontecer que com cinco gols de diferença tivéssemos perdido a cabeça, mas a equipe se configurou como grupo. Trabalhamos muito forte a defesa, principalmente pela participação do goleiro. Nos momentos finais também tivemos a capacidade de nos aproveitarmos um pouco dos erros que eles tiveram”, explicou.

O armador Arthur Patrianova disse que o Brasil já esperava uma partida complicada contra o Egito. “O legal desse torneio é que conseguimos reunir seleções de vários estilos diferentes. Ontem a Argélia era uma equipe que corria muito e o Egito hoje, como já sabíamos, tem muita força física e muito contato. Já estávamos preparados para esse jogo, mas é sempre uma partida quente. É importante que o grupo saiba lidar com essa adversidade. Quando se está em um confronto assim, é fundamental saber acalmar, saber voltar para o jogo”, comentou o atleta catarinense.

Tanto a Argentina quanto a Argélia haviam sofrido derrotas na primeira rodada, ontem. Os argelinos perderam para o Brasil e a Argentina para o Egito, portanto, hoje era um dia importante para ambos. Os argentinos fizeram um jogo bem diferente do que apresentaram ontem e neutralizaram as chances dos adversários africanos, dominando o marcador todo o tempo. Na segunda parte, os sul-americanos abriram ainda mais a vantagem e conquistaram a primeira vitória de forma tranquila.

Gols do Brasil: Diogo (5), Arthur (3), Chiuffa (3), Thiagus (3), Borges (2), Teixeira (2), Valadão (2), Cléber (1), Rogério (1) e Tchê (1).

Anúncios