A Seleção Masculina de Handebol ficou com a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. No clássico contra a Argentina, melhor para os rivais, que venceram por 26 a 23 (15 a 14) nesta segunda-feira (24) e ficaram com o ouro e a vaga olímpica. A última chance de o Brasil ir para as Olimpíadas de Londres ocorrerá no ano que vem, na disputa do torneio Pré-Olímpico mundial, contra Suécia, Croácia e um país asiático ainda não definido.

Japa salta em meio aos argentinos

No Ginásio San Rafael, o que se viu foi uma partida nervosa desde o primeiro minuto. Logo no primeiro lance, a Argentina levou a primeira suspensão, perdendo um dos atletas por 2 minutos. A violência, aliás, por pouco deu a tônica na partida. Com ânimos exaltados em ambos os lados, sobraram jogadas fortes, tiros de 7 metros e jogadores, sobretudo os brasileiros, fora por 2 minutos.

A equipe comandada pelo espanhol Javier Garcia Cuesta começou melhor na partida. Com rapidez no contra-ataque e boa postura defensiva, o Brasil logo tomou a dianteira. Mesmo com a vantagem no placar, a equipe não reduziu o nervosismo, fato explorado pela Argentina, que logo empatou e virou a partida. O Brasil chegou a retomar a liderança, mas os rivais que foram para o intervalo em vantagem.

Gil Vicente

No segundo tempo, o Brasil tentou de todas os jeitos virar a partida, mas o goleiro argentino Schulz brilhou na partida e garantiu a vitória.

“Entramos muito confiantes. Conseguimos encaixar o nosso jogo e imprimir ritmo no primeiro tempo, mas eles conseguiram voltar. Não aproveitamos o nosso bom momento. Me culpo um pouco pela falta de organização no ataque, que é a minha função. Há dias e momentos”, lamentou o central e capitão Léo.

“Finalizamos muitas bolas equivocadas, o que facilitou a defesa da Argentina, que teve desempenho excepcional. Estamos muito chateados, é claro, sabíamos que não ia ser fácil”, completou o presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira.

Já o ponta Chiuffa, muito irritado ao final do jogo, resumiu: “perdemos para nós mesmos. O goleiro deles não fez muitas defesas, foi nosso time que arremessou muitas bolas encima dele”.

Antes da final, o Brasil vencera Canadá (46 a 17), Venezuela (37 a 15), Chile (36 a 22), e República Dominicana (41 a 17).

Volta ao Brasil – Os atletas da Seleção Masculina deixam Guadalajara nesta terça-feira (25), às 18h55 (horário local) e desembarcam no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, às 11h55 (de Brasília) de quarta-feira (26). O ponta Borges e o pivô Ales, que atuam na Europa, deixam o México às 16h (hora local) desta terça-feira.

Anúncios