Japa na partida contra o Canadá

Pela terceira edição consecutiva, a Seleção Masculina de Handebol decidirá o título dos Jogos Pan-Americanos contra a Argentina. O confronto será no Ginásio San Rafael, em Guadalajara, nesta segunda-feira (24), a partir das 20h no horário local (23h de Brasília). O Brasil tentará manter a escrita contra os ‘hermanos’, já bateu os rivais nos Jogos de Santo Domingo-2003 e no Rio de Janeiro-2007. Se conquistar o tri no México, o País garante vaga nas Olimpíadas de Londres-2012.

Com tantos confrontos entre as duas equipes, os jogadores já se conhecem bem, o que pode ter vantagens e desvantagens para os dois lados. “Acredito que, no caso de dois times que se conhecem tão bem, levará a melhor aqui no México aquele que estudou o adversário com mais detalhes, buscando encontrar, no vídeo das partidas, os pontos fracos e saber explorar isso dentro de quadra”, avaliou o central Bruno Santana, que participou da conquista do bicampeonato no Rio. Além dele, outros seis jogadores conquistaram o ouro em 2007: o ponta-esquerda Borges, o armador-direito Zeba, o armador-esquerdo Jaqson, o central Leo, o goleiro Maik e o ponta-direita Tupan.

Thiagus

Bruno afirmou que, assim como na Seleção Feminina, o que move o grupo em busca de bons resultados é o encontro de gerações. “São várias faixas etárias diferentes e isso é muito bacana. Há aqueles que estão motivados para conquistar sua primeira medalha (como o ponta-direita Chiuffa, de 22 anos), outros que não querem só uma e buscam a segunda, como é o meu caso, e os mais velhos que, se por algum momento estão pensando em parar de jogar, querem a terceira para fechar com chave de ouro (caso de Jaqson, que estava em Santo Domingo e no Rio)”.

Bruno Santana

Outra motivação é o fato de o Brasil chegar com 100% de aproveitamento à decisão do Pan, com quatro vitórias por placares elásticos. Foram três na fase de grupos, contra Canadá (46 a 17), Venezuela (37 a 15) e Chile (36 a 22), e a semifinal, diante da República Dominicana (41 a 17).

Anúncios